Sem me influenciar pelos diversos textos qualitativos disponíveis sobre queda de cabelo e vislumbrando uma certa escassez de relatos e referências sobre esse tema com uma fundamentação mais técnica e ao mesmo tempo mais próxima do senso comum, resolvi compartilhar um pouco mais sobre o tema.

Profissional para cuidar da queda de cabelo

A prática da anamnese guiada ou consulta capilar na clínica e os estudos em tricologia me fizeram identificar um problema que eu mesmo estava vivendo, a queda capilar. Vou dividir com vocês dois episódios particulares em outros textos. (gravidez e estress pela mudança de trabalho).


Ao escutar o relato das pessoas que me procuram com a principal queixa sendo a queda capilar, pude identificar algumas perguntas mais comuns nas quais vou procurar responde-las nesse texto, porém com uma linguagem técnica, mas de maneira bem acessível. Vamos lá…

O paciente que me procura vem buscar principalmente identificar quais são as principais causas de queda capilar para avaliar se ele se enquadra em algum desses casos e, assim encontre o gatilho de todo o processo.

Nesse sentido, já presenciei relatos de pacientes que procuram profissionais dos mais diversos ramos para auxiliar com algo que se acredita resolver o problema de queda.

Assim, venho explicar que o profissional tricologista, seja ele profissional médico ou qualquer outro da área da saúde com habilitação ou certificação em tricologia é o profissional mais adequado para auxiliar na identificação da principal causa de queda capilar, recomendar uma suplementação, cosméticos adequados e um protocolo de tratamento capilar que vise primeiramente preservar os fios e em segundo plano estimular o crescimento capilar, se possível.

Como diz o renomado Professor Ademir Jr., em um dos muitos textos do seu blog, a grande importância no tratamento capilar especializado é a manutenção dos fios que estão no couro cabeludo. Já o estimulo de novos folículos e o ganho na espessura e quantidade dos fios é o saldo que pode se mostrar positivo ao longo do tratamento.

Esses fatos deixam evidente para o paciente que a tricologia e a terapia capilar buscarão incrementar os resultados de fortalecimento e estimulo do crescimento, mas que a principal missão é parar a queda, mantendo os fios.

Consulta para queda de cabelo

Na consulta capilar com tricologista é realizado um exame simples, denominado tricoscopia em que é utilizado um equipamento similar a uma caneta que tem a principal finalidade de aumentar a imagem do couro cabeludo em uma proporção similar a um microscópio, com isso é possível avaliar principalmente fatores que não são vistos a olho nú.

Quando uma tricoscopia é realizada, o profissional busca preferencialmente informações como presença de sinais que indicam inflamação, descamação, oleosidade, também é possível avaliar os fios buscando informações como a espessura, contagem, distribuição e forma. Com um aumento das lentes do equipamento é possível identificar a presença e quantidade de locais de nascimento dos fios (denominados óstios).

Por fim é possível avaliar a fibra capilar identificando pontas duplas, bolhas, porosidade, oleosidade e outras informações relevantes que podem direcionar tanto as possíveis causas da queda quanto a melhor sugestão para tratamento.

Ainda, como forma complementar de diagnóstico, também podem ser realizados os exames de biopsia de couro cabeludo, tricograma, testes genéticos e mineralograma.

A biopsia (retirada de uma amostra de couro cabeludo para avaliação laboratorial pelo patologista) para confirmação de um diagnóstico feito durante a consulta, o tricograma para avaliar a taxa de crescimento dos fios, testes genéticos para avaliar os primeiros sinais clínicos antes do efetivo aparecimento da calvície e mineralograma que avalia uma possível intoxicação por metais pesados, esses últimos exames citados somente podem ser realizados por um profissional médico.


Causas da Queda de Cabelo

Sobre as possíveis causas de queda, temos que ter em mente que são muitos os fatores que envolvem o desprendimento de um fio de cabelo do couro cabeludo. Temos que considerar tanto seu ciclo normal (explicado em outro post) quanto fatores que influenciam uma maior taxa de queda.

O Estresse e a queda capilar

Atualmente o estresse está no topo da lista como um dos principais gatilhos para a queda capilar. (vamos depois fazer um texto específico para cada principal causa). Esse fator ocorre devido ao fato de que algumas células da raiz do cabelo (bulbo capilar), na divisão embrionária, tem a mesma origem do conjunto de células do sistema nervoso, como os neurônios.

Assim, a raiz do cabelo possui muitas ligações nervosas e por consequência, situações estressantes acabam influenciando de forma que o organismo possa reagir parando o estimulo de crescimento capilar e desprendendo os fios.

Alterações Hormonais e a Queda Capilar

Depois do estresse, fatores como alterações hormonais, como aquelas que ocorrem no pós-parto e na pausa do anticoncepcional, má alimentação e dietas muito restritas, uso de alguns medicamentos e cosméticos, épocas do ano e doenças preexistentes como o hipotireoidismo são situações que também podem estar fortemente ligadas a queda capilar.

As alterações hormonais estão fortemente relacionadas com a inibição do crescimento capilar, tanto é que temos um hormônio, que está presente tanto no homem quanto na mulher e quando se encontram em desequilíbrio pode provocar a queda capilar.

O pós-parto é outro importante exemplo que temos para citar, pois o hormônio produzido pela placenta durante a gestação estimula o crescimento capilar e, após o parto, como ocorre a retirada da placenta e consequentemente a queda de secreção desse determinado hormônio muitas mulheres podem passar pelo eflúvio, ou queda intensa, no pós-parto.

Alimentação e a Queda Capilar

Sobre dietas restritivas ou pessoas que fizeram alguma intervenção como cirurgia bariátrica ou até mesmo sofrem por deficiência de nutrientes ou desnutrição, vale lembrar aqui sobre a relação direta entre a alimentação e a formação da estrutura dos fios.

Um fio de cabelo é formado por aminoácidos e necessita, assim como as demais estruturas do nosso corpo, de nutrientes. No caso dos cabelos, alguns principais que posso citar aqui são o Ferro, o Zinco, o Cobre, o Selênio, ácidos graxos insaturados, vitaminas como a A, do complexo B, vitamina C e D o Enxofre entre outros nutrientes essenciais para formação, crescimento e fortalecimento capilar.

Uma má ingestão ou absorção prejudicada de nutrientes da sua alimentação, assim como a pouca ingestão de água podem gerar um eflúvio. Ressalto aqui a importância de manter bons hábitos alimentares assim como um acompanhamento nutricional por profissional especializado.

Medicamentos e a Queda Capilar

Há algumas classes de medicamentos como os antidepressivos, ansiolíticos, anticonvulsivantes, anticoagulantes, para tratamento de colesterol, anticoncepcionais, para tratamentos de doenças da tireoide, anabolizantes, quimioterápicos, para acne entre alguns outros, que podem causar por efeito colateral a queda capilar, isso se deve principalmente ao fato de que tais medicamentos podem influenciar a síntese hormonal, atuar no sistema nervoso central ou então prejudicar a absorção de alguns importantes nutrientes.

Assim como os medicamentos, algumas doenças preexistentes também podem levar a queda devido as alterações orgânicas que provocam, podemos citar como exemplos o hipertireidismo, hipotireoidismo, Lúpus, Sifilis, Anemias, Sindrome dos ovários policísticos e Doenças renais, assim todos esses fatores devem ser avaliados conjuntamente com o médico.

Cosméticos e a Queda Capilar

As químicas, cosméticos, apliques e os métodos de alteração da estrutura ou coloração capilar, quando não realizados em um tempo adequado, com produtos que causem menos danos à fibra capilar e por um profissional capacitado podem intensificar a queda ou a quebra capilar. Portanto o cuidado de terapia capilar, ou seja o tratamento dos fios e do couro cabeludo é extremamente importante nesses casos para que ocorra uma melhor e mais rápida recuperação.

Para finalizar esse texto sobre queda capilar e suas principais causas, não poderia deixar de citar os fatores genéticos. Explicando de modo simplificado, muitas das nossas características são transmitidas a nós pelos nossos pais através dos genes.

Assim fica fácil compreender o motivo de que ter alguém com calvície ou queda capilar padrão masculino ou feminino na família pode influenciar na sua queda capilar também.

Mas, o mais importante do que as informações que herdamos e carregamos em nossos genes, são as características de ambiente, estilo e hábitos de vida que fazem com que os fatores genéticos se expressem levando a queda ou calvície ou permaneçam silenciadas.

Fácil saber que quanto mais você o ambiente e seus hábitos de vida sejam saudáveis, menor a chance de manifestação de calvície.

A esses fatores que influenciam os genes e sua expressão ou não, chamamos epigenética e ela está relacionada com toda nossa vida porque avalia não somente a pessoa, mas o ambiente em que ela está e o modo de viver.

Com esse texto busquei esclarecer e pontuar as principais causas de queda capilar e um modo simples de identificar e buscar ajuda para solucionar tal problema.

Como mensagem final gostaria de registrar que embora alguns fatores sejam bastante expressivos e à primeira vista seja difícil vencer a queda capilar, procure um profissional de sua confiança para te orientar e auxiliar e conserve bons hábitos de vida, pois isso não irá te ajudar somente com o problema capilar, mas sim com toda sua vida.


Comments

comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você que saber sobre algum outro assunto relacionado a estética, realizar convite para eventos ou palestras entre em contato comigo.

Rolar para cima